Descubra o que é registro de recebíveis e como essa nova norma afeta os empreendedores.

COMPARTILHE:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

O registro de recebíveis é uma norma implementada em 2021 que visa auxiliar na gestão dos estabelecimentos. Leia o artigo na íntegra para saber mais!

Desde 7 de Junho de 2021, a norma estabelece que as credenciadoras e subcredenciadoras precisarão registrar as transações de cartões junto à registradora. Mas para entender melhor esse assunto, vamos explicar o que é registradora. 

Registradora: o que é e como funciona?

Uma infraestrutura instituida pelo Banco Central do Brasil (BACEN), a registradora veio para regulamentar o mercado de recebíveis de cartão no país. 

Agora, toda transação capturada pelas adquirentes por meio das maquininhas ou online deve ser registrada nesse ambiente. Dessa maneira, a registradora é uma forma que o BACEN encontrou para obter e organizar as informações de recebíveis em todo o país.

Mas  o que muda nos recebíveis?

Com essa norma, as adquirentes devem registrar todos os recebíveis em nome de seus titulares. Esse cadastro é chamado de Unidade de Recebível (UR).

Cada UR trará as respectivas informações sobre o recebível: o titular, a credenciadora, as condições de pagamento, a data de recebimento, etc. Toda operação ou negociação que envolver o recebível propriamente dito deve ser cadastrada na UR. Por exemplo, caso o cliente queira antecipar os recebíveis, esse processo deve estar registrado na Unidade Recebível.

Quais são as vantagens dessa norma?

Para os empreendedores, essa é uma excelente novidade!

Com o aumento da segurança e eficiência, o novo sistema de registro de recebíveis tem o objetivo de reduzir o custo do crédito aos estabelecimentos, facilitando o acesso a mais alternativas de crédito no país.

Isso significa que, com a registradora, os empreendedores poderão solicitar a antecipação de seus recebíveis a qualquer outra instituição que tenha interesse em prestar esse tipo de serviço.

Mas isso só acontece se a instituição tiver acesso às informações da UR. Uma vez que a instituição que antecipará o recebível consiga visualizar os dados da registradora, ela pode fazer uma oferta para antecipá-los e negociar com o empreendedor.

É importante deixar claro que o acesso às informações dos recebíveis não é pública e, para que qualquer instituição no mercado tenha acesso à UR dos empreendedores, é necessário uma autorização ou anuência para visualizar. 

Então anota aí: caso queira aproveitar esse mercado mais competitivo, lembre-se que é preciso autorizar o acesso aos dados dos seus recebíveis, tá bem? 

E o crédito, muda também?

Sim! A principal mudança quanto ao crédito é que o empreendedor conseguirá oferecer os seus recebíveis como garantia para mais de uma instituição financeira que tenha lhe concedido o empréstimo. 

No antigo modelo, todo o fluxo de recebíveis ficava restrito a apenas um empréstimo. Se o empreendedor tivesse uma agenda de recebíveis de R$ 20.000 mas um crédito de R$ 5.000, toda a sua agenda era garantida a um único credor. Hoje, com a registradora, isso muda e o empreendedor pode usar os R$ 15.000 restantes para outras operações de crédito.

E isso é uma grande vantagem para os empreendedores, uma vez que esse modelo lhe permite tomar empréstimos com garantia de recebíveis de cartão de crédito em mais de uma instituição financeira ou de pagamento no mercado.

E aí, o que achou? Ficou animado com essa nova norma? Caso queira saber mais, visite o site do Banco Central.

Ah, e não se esqueça que nós somos a parceira certa para ajudar a sua empresa crescer. Temos as melhores taxas para lucrar mais, parcelamento em 12x para vender muito e recbimento em 1 dia útil para garantir dinheiro sempre em caixa. 

Vem voar com a gente! ????